Crianças e Natureza

Crianças e Natureza

Para Richard Louv, jornalista, cofundador da rede internacional Children and Nature Network e autor do livro A Última Criança na Natureza, a relação atual das crianças com a natureza é muito diferente de algumas décadas atrás. Hoje elas estão desconectadas do ambiente natural.

As crianças têm bastante acesso à informação e entendimento sobre ameaças ambientais, no entanto, o contato físico com estes ambientes está diminuindo.

Para Louv, a infância está sofrendo de “transtorno de déficit de natureza” que traz consequências como obesidade, falta de atenção e hiperatividade. Ele levanta também as várias oportunidades de aprendizado pela natureza, desde a observação de insetos e aves até a exploração, como percorrer uma trilha no meio da mata ou subir em uma árvore.

Áreas verdes podem ser encontradas em parques, jardins, praças, hortas oferecendo uma importante ferramenta pedagógica e fonte de aprendizado e conhecimento.

Para o pesquisador, existem muitos obstáculos para aqueles que atuam na reconexão com a natureza. Um deles é a falta de hábito em realizar atividades ao ar livre com as crianças. Deve haver uma maior conscientização dos educadores e famílias a respeito desta necessidade.

Outra barreira é a desqualificação de atividades relacionadas à ecologia e educação ambiental. É preciso começar a entender e gerar oportunidades para o surgimento de novas profissões que promovam o contato, a proteção e restauração da natureza.

Outra questão importante é o “medo da natureza”. Muitas vezes esse medo parte dos pais e responsáveis que projetam nas crianças essa insegurança. Além do receio de que se machuquem de alguma forma, existe o medo de que o contato com plantas e insetos seja prejudicial à saùde.

Superar essas crenças é essencial para trabalhar a reaproximação das crianças com a natureza.

A NATUREZA COMO REFÚGIO

A natureza pode ser um refúgio de situações estressantes do cotidiano das crianças. O contato com o verde estimula a criatividade, é um espaço onde a criança pode reinventar uma realidade e recuperar a estabilidade emocional. Sozinha ou em grupo, ela pode explorar o ambiente, descobrir lugares secretos ou trabalhar em equipe em algum projeto fortalecendo vínculos afetivos.

Nesse sentido, é importante ressaltar, que a natureza, referindo-se a toda variedade de espécies de plantas e animais deve ser considerada como parte do ser humano e vice-versa.

Quando estamos em contato com outras espécies não nos sentimos tão sós. Isto seria parte da cura de muitas de nossas patologias.

Pesquisas indicam, cada vez mais a importância do contato com áreas verdes para o desenvolvimento cognitivo e neurológico de crianças e jovens, além da manutenção da saúde física e mental do ser humano.

Fonte: http://conexaoplaneta.com.br/blog/richard-louv-e-reconexao-com-a-natureza/

https://portal.aprendiz.uol.com.br/2018/05/30/8-licoes-de-richard-louv-sobre-relacao-criancas-e-natureza/

About the Author
Reserva Serelepe

Leave a Reply